Incêndios florestais na Rússia provocam prejuízos superiores a dez mil milhões de euros

Noticias

Os incêndios florestais na Rússia terão consumido até agora 10 dez mil milhões de euros, ou 1 por cento do PIB russo em 2010, estimam peritos dos bancos HSBC da Rússia e do Uralsib citados pelo diário económico Kommersant.

Segundo o jornal, trata-se apenas dos prejuízos directos e a curto prazo, considerando que ainda é preciso fazer as contas a longo prazo.

Os peritos prognosticam a queda da produção, assinalando que no terceiro trimestre, as autoridades poderão reconhecer a “estagnação” na economia.

A proibição temporária da exportação de cereais provocará à Rússia “perdas superiores a 2 500 mil euros” e “a inflação alimentar disparará até aos 9,5 por cento”, acrescenta o jornal.

Porém, as consequências a longo prazo poderão ser ainda mais graves.

“Para avaliar adequadamente os prejuízos provocados pelo calor e os incêndios, são necessários estudos profundos. Têm também expressão monetária real os prejuízos das pessoas provocados pela deterioração da qualidade do meio ambiente”, sublinha Alexandre Morozov, perito do banco HSBC.

Neste verão a Rússia registou até ao momento 26 mil fogos florestais numa área de 750 mil hectares. No combate às chamas participam mais de 160 mil bombeiros, apoiados por 26 meios técnicos, incluindo 42 aviões e helicópteros.

Alexandre Frolov, director dos Serviços Meteorológicos da Rússia, declarou que o seu país nunca conheceu uma onda de calor tão intenso durante os mil anos da sua história.

Moscovo voltou a acordar sob um pesado manto de fumo e os meteorologistas prevêem mais um dia quente e com fumo na capital russa. O mercúrio nos termómetros poderá chegar aos 38 graus centígrados e não se espera precipitação.

Fonte: JN

Socorro do INEM em risco por falta de operadores

Noticias

O Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Norte está em risco de colapsar.

As 1300 chamadas que o INEM recebe por dia naquele posto estão a ser atendidas por menos técnicos do que o necessário e por jovens inexperientes, pondo em causa o socorro.

A escala de operadores para o mês de Agosto tem “buracos” e muitos turnos estão assegurados por técnicos acabados de formar, sem a experiência necessária para fazerem uma triagem rápida e detectarem uma chamada falsa. Resultado: acumulam-se as chamadas em espera e atrasa-se o accionamento de meios para situações de emergência.

Aliás, nos últimos dias, já têm ocorrido situações de atraso no socorro e confusão na passagem de informação aos bombeiros (ler página ao lado). 

A denúncia parte do Sindicato Nacional dos Profissionais da Emergência Médica (SINAPEM), que classifica a situação de “insustentável”. A direcção nacional do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) desvaloriza, alegando que os novos técnicos tiveram a formação adequada, que o número de postos de atendimento no CODU doPorto aumentou e que as chamadas diminuíram no primeiro semestre (menos 55 mil) para uma média de 1367  por dia, em comparação com o período homólogo de 2009.    

“Em cada turno, há quatro ou cinco operadores novos a atenderem as chamadas. Eles demoram cinco a seis minutos a fazer uma triagem em vez de um a dois minutos, por terem falta de experiência. Como são muitos em cada turno, atrasa tudo”, denuncia Cristina Cameira, presidente do SINAPEM e operadora responsável no CODU do Norte (Porto), onde trabalha há quase 20 anos.

A escala de operadores deste mês, a que o JN teve acesso, deixa perceber  que amanhã, terça-feira, por exemplo, será um dia difícil: o turno da manhã está assegurado por 13 operadores (deviam ser 15), dos quais seis são recém formados. O turno da tarde conta com 11 operadores (deviam ser 15), dos quais cinco são inexperientes. O turno da noite tem oito operadores (deviam ser nove), dois dos quais acabados de formar.

O cenário repete-se nos dias seguintes e há turnos que estão a roçar os mínimos previstos para dias de greve. “Com a agravante do mês de Agosto ser especialmente complicado devido ao acréscimo de emigrantes”, nota a presidente do sindicato.

Ontem, segunda-feira, para fazer face aos “buracos” da escala foi pedido a alguns técnicos das ambulâncias do INEM para irem para o CODU  atender chamadas, revelou Cristina Cameira,  que coloca o epicentro do problema numa “guerra entre a direcção do Norte e a direcção nacional do INEM”.

Desde Julho de 2009 que os “buracos” nas escalas têm sido tapados com horas extraordinárias dos profissionais da casa. Porém, nos últimos meses, aquelas horas a mais não foram processadas e pagas, assegurou a operadora.

Além disso, este mês, os técnicos do CODU não foram questionados “a tempo” sobre a disponibilidade para cumprir as horas em falta, pelo que a escala continua por preencher, explica Cristina Cameira.

Com a saída dos enfermeiros dos CODU de todo o país, a escala ficou ainda mais reduzida. No Porto trabalhava um enfermeiro e a vaga não foi preenchida. O INEM explica que o médico regulador passou a assegurar essas funções.

A direcção nacional do INEM acrescenta que já reuniu duas vezes com o sindicato no último mês  e que “as questões apresentadas receberam a melhor atenção”.  E acrescenta que no que “se verificar como sendo uma necessidade de condições de trabalho (em geral), será atendido”.

Fonte: JN

Risco máximo de incêndio para 14 distritos de Portugal

Noticias

O risco máximo de incêndio volta hoje a ser a maior preocupação para 14 distritos do norte, centro e sul de Portugal continental. O Instituto de Meteorologia (IM), pelo segundo dia, lançou avisos para as temperaturas bastante elevadas com os termómetros a estarem praticamente todos acima dos 30 graus e nas regiões de Santarém, Leiria e Setúbal a chegarem mesmo aos 40 graus.

O dia de hoje volta a ser bastante quente, depois de uma noite em que as temperaturas mínimas não baixaram dos 20 graus em praticamente todo o país, o que levou a nova alerta por parte de várias entidades para a forte possibilidade de incêndios.
O risco máximo de incêndio está levantado em vários concelhos de 14 distritos do norte, centro e sul de Portugal e esta manhã, cerca das 9 horas, 12 incêndios estavam activos em Portugal.
Na luta a estes incêndios a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) tem requisitado algumas centenas de efectivos que vão estar igualmente atentos aos locais onde vigora o nível de risco máximo de incêndio que está activo para quase todo o distrito de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Santarém e Portalegre e ainda no concelho de S. Brás de Alportel, no distrito de Faro.
Segundo a ANPC, no dia de ontem registaram-se 416 incêndios florestais que foram combatidos por 7.754 bombeiros, apoiados por 2092 veículos.
Em relação aos incêndios que estavam activos às 11 horas desta manhã, o de Ermida, em Sever do Vouga, em Aveiro, era o que mobilizava mais meios, com 111 bombeiros, 10 equipas de sapadores florestais e a ajuda de 25 veículos especiais.
Em relação aos fogos que se encontram activos a Protecção Civil acredita que tem condições para “resolver a maioria” dos incêndios que lavram actualmente “nas próximas horas” e apelou para uma “tolerância zero ao fogo” em áreas florestais.
“Não fazer fogo de qualquer espécie, não fumar, não fazer queimadas, não lançar foguetes”, são determinações que devem ser cumpridos por todos já que “a floresta só com o calor não arde”, referiu Patrícia Gaspar da ANPC em declarações à agência Lusa.
Embora “as condições meteorológicas não favoreçam o combate aos incêndios”, devido ao tempo seco, Patrícia Gaspar acredita que “com todos os esforços no terreno” haverá “condições de resolver a maioria destas situações nas próximas horas”.

Fonte:http://tv2.rtp.pt/homepage/

Incêndio Almoinhas Velhas/ Abano

Noticias

O incêndio que deflagrou na madrugada de dia 25 de Julho, Sábado, em Almoinhas Velhas, concelho de Cascais, já se encontra extinto.

Por volta das 03.00 da madrugada de dia 25 de Julho, a corporação dos Bombeiros de Alcabideche recebeu o alerta de Fogo na zona de Almoinhas Velhas, junto à praia do Abano.

250 Homens combateram durante 6 horas este incêndio, apoiados por mais de 50 veículos e 2 helibombardeiros pesados, KAMOV provenientes da Base Aérea do Montijo e de Beja. Várias foram as corporações envolvidas.

O fogo só foi dado como extinto pelas 23:00 horas do dia 25 de Julho, contabilizando um total de 80 hectares de área ardida.

Segundo o Comandante dos Bombeiros de Alcabideche, a localização do inicio do fogo, junto à estrada nacional, aponta como causa mão criminosa ou negligencia, a origem é certamente humana.

O território de Portugal Continental está sob alerta laranja de risco de incêndio, o segundo mais grave numa escala de cinco, devido à “subsistência de tempo quente e seco”, anunciou a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

Este alerta foi activado às 20 horas de ontem, domingo, pela ANPC, e estará em vigor pelo menos até às 20 horas de amanhã, terça-feira.

O IM prevê para a continuação de tempo quente, com céu geralmente limpo, e temperaturas máximas de 41 graus Celsius em Lisboa, 40º em Évora e Beja e 38º em Braga.

Cuidados especiais a ter no Verão – Informação

Noticias

Com a chagada do verão e do bom tempo as actividades ao ar livre aumentam
significativamente.
Os cuidados sobre as crianças devem ser redobrados, já que estas são as primeiras vítimas do calor e do sol.
As crianças podem rapidamente desidratar e sofrer uma insolação. Os sintomas são claros, vómitos e dores de cabeça. Para evitar desconfortos devem ser tomadas algumas precauções. A ingestão de líquidos ao longo do dia é fundamental, bem como a utilização de chapéus para proteger a cabeça e óculos de sol para a protecção dos olhos.
Para a protecção dos raios UVB, devem ser utilizados cremes de protecção solar, fazendo várias aplicações ao longo do dia.
Existem actualmente no mercado roupas e tendas com protecção UVB.

Com a abertura da época balnear e o aumento significativo de aglomerados de pessoas nas praias torna-se fundamental aumentar tambem a vigilância.
O desaparecimento de crianças nas praias é uma realidade.
Neste caso deve-se agir com calma.
A primeira medida a tomar é verificar de imediato se a criança se encontra junto à água, o risco de afogamento é real e urgente. Questione os restantes banhistas, uma criança sozinha na praia desperta a atenção. De seguida deverá alertar as autoridades para o facto. Se possível, é importante que permaneça uma pessoa no ultimo local em que esteve com a criança.
É importante lembrar que as crianças quando caminham na praia tem tendência a ir no sentido oposto ao sol porque os raios solares incomodam os olhos, esta é a primeira direcção a tomar.

Uma conversa prévia de sensibilização e alerta, pode ajudar a prevenir este tipo de situações.

Aproveite o Verão de forma saudável e com responsabilidade.

CIN lança campanha de apoio aos Bombeiros

Noticias

“A CIN, com a gama de produtos CIN Woodtec para protecção e decoração da madeira, e a Liga dos
Bombeiros Portugueses voltam a lançar a campanha conjunta “Ao proteger a sua madeira está a proteger a de todos!”, uma iniciativa que, pelo segundo ano consecutivo, ajuda as corporações de Bombeiros Voluntários de Portugal.

Na compra de um litro de qualquer produto da gama CIN Woodtec, entre 21 de Junho e 21 de Setembro de 2010, um euro reverte inteiramente a favor desta campanha que tem por objectivo final a oferta de equipamentos de protecção individual dos bombeiros ” Fire Shelters. Em 2009, a CIN conseguiu oferecer um total de 150 abrigos florestais, a 30 Corporações de Bombeiros Voluntários de Norte a Sul do país.

Os abrigos florestais serão entregues às corporações de bombeiros voluntários vencedoras até ao final de 2010, após votação dos consumidores em http://woodtec.cin.pt durante o período de campanha.

“O Abrigo Florestal (Fire Shelter) é um artigo obrigatório do equipamento de protecção individual do bombeiro, mas é muito dispendioso para as corporações e não é reutilizável, o que faz com que seja uma das principais necessidades dos bombeiros, especialmente dos voluntários, que dispõem de menos
verbas”, refere Duarte Caldeira, Presidente da Liga Portuguesa dos Bombeiros.

Reinaldo Campos, Director de Marketing, Estratégia & Business Development da CIN, acrescenta que “A campanha do ano passado correu muito bem, sendo que este ano queremos oferecer ainda mais abrigos florestais contribuindo, assim, para ajudar um maior número de corporações nacionais. Os produtos da gama CIN Woodtec protegem a madeira e a CIN protege os bombeiros portugueses que todos os anos procuram combater os fogos, principalmente nesta época de mais calor”. A gama CIN Woodtec é uma gama de produtos CIN, lançada a nível ibérico, que apresenta diversas soluções para a protecção e decoração da madeira, em interior e em exterior, tendo por base a tecnologia avançada, aliada à performance e estética decorativa.”

Poderá ajudar a nossa coorporação votando no link:http://www.woodtec.cin.pt/resultado.php

Fonte: www.cin.pt em 15/07/2010

Eventos Bombeiros de Alcabideche

Noticias

A partir de Setembro de 2010, com a periodicidade mensal a Alcaisfisio, em colaboração com a equipa
de Educação leva a cabo o “Journal Club”.
Cada sessão será dedicada a um tema actual e pertinente em Fisioterapia.
Partindo das últimas evidências científicas publicadas sobre o assunto, vamos reflectir sobre a nova Prática Clínica.
O tema previsto para a primeira sessão será a 25 de Setembro, sob o título “ Intervenção em Fisioterapia nas Lesões da Coifa dos Rotadores”.
As actividades decorrerão na sala de formação da clínica, Sábado à tarde entre as 14 horas e as 17 horas.
Pode fazer desde já a sua pré-inscrição enviando um e-mail para “Journal Club” em alcaisfisio@gmail.com, com os seus dados e contacto.

 

RMAC assina nova imagem dos Bombeiros de Alcabideche

Noticias

“A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Alcabideche acaba de apresentar uma nova imagem institucional. A nova identidade, criada com o propósito de reafirmar a união entre a Associação e o Corpo de Bombeiros, que na anterior identidade tinham duas imagens distintas, foi desenvolvida pela RMAC, agência de design do grupo BBDO. A nova imagem é acompanhada de um novo site que se encontra online a partir de hoje. O projecto de comunicação da instituição teve início há cerca de um ano com a criação de um departamento de comunicação.”

 

Meios&Publicidade – 7 de Julho de 2010 às 00:05:17

Bombeiros de Alcabideche com nova imagem

Noticias

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Alcabideche surge com uma nova imagem institucional.É o culminar de um projecto iniciado há pouco menos de um ano e representa um investimento desta associação.Até à data permaneciam duas imagens distintas, a Associação fazia-se representar pela tradicional Fénix, enquanto o Corpo de Bombeiros utilizava um escudo em tons de azul com a representação dos vários elementos identificativos da profissão de bombeiro.
A nova marca foi concebida para reafirmar a união entre a Associação e o Corpo de Bombeiros.
“Queremos pegar nas nossas principais competências e reforçá-las. Era o momento de nos impormos e de vermos reconhecido o trabalho que desempenhamos”, afirma o presidente de Direcção José Filipe Ribeiro.
Esta iniciativa surge ainda com o objectivo de modernizar esta instituição,”A atracção de um público mais jovem é a primeira linha de crescimento”, afirma o Presidente.
Esta nova imagem pretende reforçar o empenho, a dedicação, o dinamismo e as competências desta equipa. O objectivo nunca foi romper com a tradição e com a identidade que o antigo logótipo transportava. Os elementos principais mantêm-se, e o elo de ligação com a história não foi quebrado.A Fénix representa a liberdade, a imortalidade e a força. É caracterizada como um pássaro que renasce das suas cinzas. Os machados são o símbolo alusivo aos bombeiros, é um elemento que está ligado à ideia de protecção.Várias foram as empresas contactadas para desenvolver este trabalho, a admiração do mercado foi constante, tendo em conta que não se trata de uma prática comum. A RMAC (grupo BBDO) foi a agência responsável pela criação da nova imagem.

 

Chegou o Verão!

Noticias

Aos pais:

Cuidados especiais para bebés

Os bebés são especialmente vulneráveis às ondas de calor e devemos ter alguns cuidados especiais na sua protecção, a saber:

  • Hidrate a pele do bebé, passando creme hidratante no rosto e loção corporal no resto do corpo. Utilize produtos adequados a este grupo etário;
  • Pode refrescar o seu bebé usando um spray de água termal ou um vaporizador;
  • Faça-o beber líquidos com regularidade. Não existem regras quanto à quantidade. È fundamental a ingestão de líquidos ao longo do dia;
  • Em casa mantenha as persianas corridas. Pode usar um ventilador, mas nunca direccionado para o seu bebé;
  • Durante os períodos de maior calor não hesite em deixá-lo só com a fralda;
  • Proteja o bebé do sol: utilize cremes de protecção solar, mesmo que não vá à praia. Utilize chapéu e óculos protectores;
  • Não passeie o seu bebé quando as temperaturas forem superiores a 30º. Mesmo não expondo o bebé directamente ao sol, os carrinhos conservam o calor fazendo o bebé sentir-se desconfortável. De igual forma, não utilize o seu automóvel para passeios nessas alturas.

Porque é que o nosso clima muda?
A atmosfera da terra contém o ar que nós respiramos, protege-nos das radiações e conserva o calor do nosso planeta.
Devido à acção humana, ao longo dos séculos, queimaram-se grandes quantidades de combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) para obter calor e electricidade.
Esses gases libertam dióxido de carbono e outros gases, que causam o efeito de estufa no ar que respiramos.
Á semelhança do que acontece quando nos tapamos com um cobertor, este vai impedir que o calor se dissipe, conservando-o no seu interior.
Assim acontece com o planeta, agravado todos os anos por uma cada vez maior quantidade de gases libertados, o que causa uma mudança climática.
Os cientistas prevêem que as mudanças de clima vão determinar vagas de calor mais fortes e mais longas.

Quais são os perigos?
A exposição a períodos de calor intenso, durante vários dias consecutivos – ondas de calor – constitui uma agressão para o organismo, podendo conduzir a desidratação, ao agravamento de doenças crónicas, a um esgotamento ou a um golpe de calor, situação muito grave e que pode provocar danos irreversíveis à saúde, ou até a morte.

Por isso cumpra estas regras e fale com os seus filhos sobre este assunto:

  • Aumente a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem açúcar, mesmo sem sede;
  • Faça refeições leves e mais frequentes;
  • Permaneça duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado;
  • Evite as mudanças bruscas de temperatura;
  • Evite a exposição directa ao sol;
  • Na rua, deve utilizar chapéu e óculos escuros;
  • Evite a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, lembre-se que não deve fechar completamente as janelas. Recorda-se ainda que é preferível viajar de noite para evitar os períodos de maior calor. Transporte consigo água ou sumos cítricos (Laranjas, Ananás, Limão, etc.) As crianças e idosos não devem permanecer em veículos expostos ao sol;
  • Sempre que possível, deve diminuir os esforços físicos e repousar em locais frescos e arejados;
  • Utilize roupa solta e larga, de preferência, algodão e cores claras;

Abrir janelas durante a noite pode ajudar a diminuir a temperatura dentro de casa.

Sempre que se sinta mal devido ao calor peça ajuda